Inteligência Artificial: Entre o caos e a ordem

Abertura e Plenário

A “consciência” homem – máquina

Orador inicial

  • Arlindo Oliveira – A Consciência Humana e não Humana

Comentários

  • Gustavo Cardoso 
  • Vasco Cal 

Debate com os participantes

Pausa para café

Grupos Reflexão

A – Dinâmica Geopolítica e da Ordem Mundial decorrente da AGI

B – Paradigmas da Sociedade na AGI

  • Desigualdades, Equilíbrios e UBIs (Universal Basic Income)
  • Estrutura e organização Societal (Classes, Grupos,, “Os Irrelevantes”, …)
  • Sociedades Híbridas
  • Ocupação do Tempo – Lazer, Trabalho, Educação, Ensino, …
  • As expectativas das diferentes gerações
  • Longevidade e envelhecimento
  • Saúde e Saúde Mental

C – O Humano na AGI

  • “Well-Being” – Como será para a generalidade e para os ‘eleitos’ 
  • Sustentabilidade do humano
  • Identidades em ambiente AGI
  • CRISP – Manipulação genética
  • Evolução da Consciência humana
  • Relações afetivas

Apresentação das conclusões dos Grupos

Encerramento

* AGI (Artificial General Intelligence), ou Inteligência Artificial Geral, refere-se a uma forma de inteligência artificial capaz de pensar, actuar e desempenhar qualquer tarefa cognitiva que um ser humano com inteligência média de nível universitário. Enquanto a maioria dos sistemas de inteligência artificial atualmente em uso são projetados para executar tarefas específicas, como reconhecimento de fala ou visão computacional, a AGI será capaz de aprender e aplicar uma ampla gama de funcionalidades, incluindo a capacidade de raciocinar, planear, resolver problemas e aprender de forma autónoma, contemplando também aspectos nos domínios emocional e sociocultural. A AGI será capaz de se adaptar a novas situações e ambientes, assim como aos seres humanos, e poderá ser capaz de superar os limites das capacidades humanas em certas áreas.

Adaptado de “No Limiar da Autodeterminação da Inteligência Artificial?” – APDSI