Sala 3 – O MUNDO – AS CULTURAS POLÍTICAS NA EUROPA E NO MUNDO

O conceito de democracia não parece ser o mesmo para todas as culturas e geografias. No ocidente ele assenta, entre outros aspetos, no respeito da liberdade individual e dos direitos humanos, no sufrágio universal e em sistemas multipartidários. A crença que esta democracia deverá ser universalmente aplicada poderá ser um absurdo face às características de diferentes culturas e espaços geográficos.

  • Terá cada sistema cultural o seu próprio tipo de democracia ou isso é apenas um argumento autocrático?
  • Faz sentido existir um modelo “one fits all” a nível global eliminando outras eventuais “formas” diferentes de democracia que não seja a ocidental?
  • Na hipótese de no actual “líder” ocidental, os EUA, vir a ocorrer uma “deriva iliberal” que tipo de impactes poderá ocorrer nos modelos representativos/liberais ocidentais e, mesmo, a nível global?

Face à revolução digital em curso como evoluirão os conceitos de Soberania? No mundo analógico a noção de soberania está bastante associada à noção de fronteira (território, poder, defesa, circulação de pessoas, circulação de bens, …) e repartida por diferentes organizações, mas no mundo digital não existem ou estão fortemente esbatidas muitas das fronteiras existentes.

  • Será que a Soberania estará cada vez mais em organizações tipo GAFA e não nos estados físicos e geográficos tradicionais?
  • Como é que a democracia representativa/liberal se poderá adaptar à crescente complexidade do Mundo Digital?
  • Qual a importância dos grandes lobis da era digital na reação às mudanças, nomeadamente legislativas?
  • Como se perspetiva o exercício do poder na Era Digital? (vejam-se, por exemplo, os casos da Europa, Afeganistão, América Latina, China, …)

Algumas referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.